terça-feira, 12 de Agosto de 2014

Evolução do saldo orçamental

Em tempo de férias, algumas considerações acerca das últimas contas disponíveis que são as dos primeiros 6 meses deste ano.

O saldo primário apresenta uma grande evolução no sentido de se tornar positivo;

As contas do saldo global são impactadas, principalmente, pelo aumento das despesas com pessoal (13º mês) e aumento do custo dos juros da dívida;

A dívida está a ser adquirida, em grande medida, por aforradores particulares portugueses.

Daqui, apraz-me dizer:

O primeiro ponto é claramente positivo,

O segundo ponto ainda traduz uma dificuldade grande em lidar com a despesa do Estado e em fazê-la decrescer. Olhando somente às contas, parece-me haver grandes evoluções neste campo que se começaram a ver já este ano e no próximo;

O terceiro ponto garante alguma sustentabilidade à dívida e, por tabela, gera boa receita em sede de IRS pois os rendimentos são tributados, ao contrário do que acontece com as obrigações compradas por particulares/fundos estrangeiros que levam também essa parcela dos juros. Contas por alto, a dívida adquirida por particulares gerará 24M€ que, não contarão como receitas do Estado à medida que forem vencendo juros para o aforrador.

Até breve!

Ps. alguma gelataria em Ericeira, que conheçam, e seja absolutamente imperdível? Obrigado!

sexta-feira, 1 de Agosto de 2014

Execução orçamental JUN/2014

Continuo com os dados de uma soma móvel de 12 meses, para atenuar fatores extraordinários que possam desvirtuar um pouco os dados mês-a-mês.

Neste sentido, apresento alguns dos números que considero relevantes, relativamente aos últimos 12 meses terminados em JUN2014 comparados com os dos últimos 12 meses terminados em JUN2013:
  • Receita fiscal :  +4.128M€ ; + 12.6%  (o IRS continua a abrandar o crescimento)
  • Despesa corrente primária : - 152M€ ; -0.4% (sofreu com a reposição do subsídio de férias em 2014)
  • Saldo primário : - 735M€; (subsídios de férias de 2014...)
  • Juros : + 669M€ ; +9.9% (a dívida está a aumentar a um ritmo muito menor que há 12 meses, daí os valores começarem a estabilizar)
Duas curiosidades

  1. os juros CoCo bonds renderam 55.3M€ este ano, até final de junho,
  2. as multas do código da estrada renderam 30.7M€ (-18% que nos primeiros 6 meses de 2013)

Até breve!

Dívida Pública Portuguesa - JUN/2014

Dívida Pública Portuguesa total (JUN/2014) : 212.902.182.983


A dívida teve a seguinte variação média diária nos períodos indicados: 

2014 : + 17.135.795€ (últimos 12 meses terminados em JUN/2014)
2013 : + 26.667.217€
2012 : + 53.616.271€
2011 : + 63.331.160€
2010 : + 52.132.112€

2009 : + 39.133.457€

Este mês a dívida diminuiu cerca de 1.531M€, cifrando-se em 212.902.182.983€

Destaco dois pontos nestes dados:

1. o aumento da dívida nos últimos 12 meses foi bastante baixo, tendo em conta números anteriores;

2. nos últimos 12 meses, os certificados de aforro e tesouro foram responsáveis por cerca de 46% do aumento da dívida, o que significa que uma parte MUITO substancial da dívida é poupança interna.

O primeiro ponto é uma notícia menos má, a segunda é muito boa visto indicar estarmos bastante menos dependentes dos mercados e de emissões de dívida.

Até breve!

quarta-feira, 25 de Junho de 2014

Execução Orçamental - Maio/2014

Continuo com os dados de uma soma móvel de 12 meses, para atenuar fatores extraordinários que possam desvirtuar um pouco os dados mês-a-mês.

Neste sentido, apresento alguns dos números que considero relevantes, relativamente aos últimos 12 meses terminados em MAIO2014 comparados com os dos últimos 12 meses terminados em MAIO2013:
  • Receita fiscal :  +2.612M€ ; + 25.9%  (o IRS continua a abrandar o crescimento)
  • Despesa corrente primária : - 2.787M€ ; -6.4% (parece acentuar a descida)
  • Saldo primário : + 297M€; (muito bom, continua positivo)
  • Juros : + 1.221M€ ; +20.4% (o valor de juros pagos parece estar num período de estabilização. Em maio, foram pagos menos 7.5M€ em juros que em maio do ano passado))

Os impostos IRS, IRC e IVA continuam a responder por grande parte da melhoria no saldo primário.

Por curiosidade, os juros CoCo bonds renderam 42.7M€ este ano, até final de maio.

No deve e no haver puramente financeiro, as contas tendem para o equilíbrio. Do ponto de vista da sociedade em geral, os desequilíbrios são ainda muito fortes (como o desemprego...) e vão tardar muito a voltar ao desejável.

Até breve!

terça-feira, 24 de Junho de 2014

Dívida Pública Portuguesa - MAI/2014

Dívida Pública Portuguesa total (Abr/2014) : 215.169.782.162


A dívida teve a seguinte variação média diária nos períodos indicados: 

2014 : + 30.030.342€ (últimos 12 meses terminados em Mai/2014)
2013 : + 26.667.217€
2012 : + 53.616.271€
2011 : + 63.331.160€
2010 : + 52.132.112€

2009 : + 39.133.457€

Este mês a dívida diminuiu cerca de  736M€, cifrando-se em 214.433.749.718€

A subscrição de certificados de aforro e poupança mais continua a bom ritmo. Nos últimos 12 meses, foram responsáveis por cerca de 23% do aumento da dívida, o que significa que uma parte substancial da dívida é poupança interna.

As disponibilidades em depósitos têm um delay de 30 dias, por isso não sei qual a dívida líquida. Suponho que sejam de cerca de 21.000.000.000€ e, por isso, estimo a dívida líquida em cerca de 193.000.000.000€, ou 117% do PIB

Até breve!

terça-feira, 27 de Maio de 2014

Resultados finais das europeias 2014

Erros nos valores das percentagens de cada partido mas acerto total na distribuição dos mandatos.
E por um preço infinitamente inferior ao pago pelas tv's e rádios...

Até breve!

domingo, 25 de Maio de 2014